Arquivo mensal janeiro 2016

porPaulo Teixeira

A necessidade da boa teologia

por Marco G. de Paula*

“Tende cuidado para que ninguém vos tome por presa, por meio de filosofias e sutilezas vazias, segundo a tradição dos homens, conforme os espíritos elementares do mundo, e não de acordo com Cristo; ” (Cl 2:8)

“Ninguém que reflita sobre as perguntas cruciais da vida escapa de fazer teologia. E qualquer um que reflita sobre as questões fundamentais da vida – incluindo perguntas sobre Deus e nossa relação com ele – é teólogo. ” ¹

Todo cristão é um teólogo, se baseando nesse texto que acabamos de ler. Me pergunto frequentemente sobre a teologia, penso sobre a influência que ela exerce na vida de cada ser humano, e com isso, sou levado a ver a situação atual de Brasil, como resultado da falta da boa teologia, aquela que é bíblica, cristã e relevante para com a cultura atual. Logo, procurarei mostrar a consequência da má teologia para a fé cristã.

Em toda a era cristã, nunca houve uma geração com tanta falta de doutrinas bíblicas. Pergunte a algum adolescente de sua congregação qual o primeiro mandamento e muitos irão responder que é amar ao próximo. A falta de uma pregação que fale sobre o arrependimento, que faça as pessoas refletirem sobre sua vida com Deus resulta no atual estado do Brasil. Querem saber qual é a solução para todos os problemas existentes no país? É o evangelho, ele é a solução para tudo! Mas ao contrário da pregação bíblica, os pregadores atuais (há exceções) pregam o amor ao dinheiro e tudo que se orbita em volta do mesmo, todavia não pregam o “Não acumuleis para vós outros tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde ladrões arrombam para roubar. Mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde a traça nem a ferrugem podem destruir, e onde os ladrões não arrombam e roubam. ” (Mateus 6:19, 20). Criando, assim, cada vez mais “cristãos” focados no querer “achar a vida”, mas nada preocupados em fazer a vontade de Deus.

A boa teologia é algo extremamente importante e valioso, o ensino correto das escrituras, faz arder em nós um amor irradiante pelo evangelho. Olhemos para Genebra, na época da reforma, Calvino formava cristãos, e alunos, com a chama do evangelho ardendo em seus peitos, foram (corajosos) enviados para fazer missões na França, sabendo que, talvez (tendo sorte), viveriam apenas 6 meses de vida, por conta das perseguições.

Olhemos para os grandes avivamentos da história, como na Alemanha com Lutero, como em Genebra com Calvino, como na Escócia com John Knox, como na Inglaterra com Wesley e Whitefield, e outros em outros lugares do mundo. Em todos esses casos que citei, algo de anormal na sociedade acontecia, ela mudava. A justiça social melhorava, a corrupção diminuía, enfim, algo mudava. Apenas Deus pode trazer o avivamento, e Ele efetua o avivamento através da pregação bíblica. Mas ainda assim, os “grandes heróis” da maioria dos fiéis insistem em não viver e ensinar o que a Bíblia ensina. E o resultado de uma vida longe das Escrituras, e não só de uma vida, mas de uma nação inteira é a corrupção, violência, a inexistência de justiça social e afins.
Temos perecido de forma drástica, e a solução é o evangelho, a solução é a boa teologia. Se a igreja protestante brasileira voltar as Escrituras poderemos, enfim, sonhar com um país justo, e longe da corrupção, longe da injustiça com as minorias, poderemos sonhar em um avivamento.

¹ – Iniciação à Teologia: um convite ao estudo acerca de Deus e de sua relação com o ser humano / Stanley J. Grenz e Roger E. Olson; tradução Werner Fuchs _ 2a. ed. _ São Paulo: Editora Vida, 2006.

Marco G. de Paula*Marco G. de Paula é estudante e seminarista na Escola Teológica Reformada, formado em teologia pelo Instituto Bíblico Ebenézer, cristão protestante e blogueiro.