Arquivo de tag políticos

porPaulo Teixeira

O perigo de seguir cegamente “líderes políticos cristãos”

Os maiores referenciais bíblicos de homens públicos, a meu ver, foram José e Daniel. José, vendido pelos seus irmãos,  foi escolhido pelo egípcio Faraó e Daniel pelo babilônico Nabucodonozor. Daniel, genial, ultrapreparado (Dn1:4), trabalhou com os babilônicos Nabucodonosor e Belsazar, e, depois que o império persa dominou o império babilônico, trabalhou com os persas Ciro e Dario. Ambos atuaram nas maiores civilizações de suas épocas e se destacaram porque eram capazes. Mostraram resultados. Deus estava com eles, mas eram preparados. Venceram etapas difíceis antes, confiando no Senhor: por isso foram reconhecidos.

Você conhece algum exemplo bíblico de alguém que foi escolhido pelo “povo de Deus” (não pelo próprio Deus, através dos profetas, quando Deus indicava diretamente) ou pelos seus “líderes” e tenha sido um grande referencial? Leia Jr 20:1-2 (transcrito ao fim deste texto) e perceba que quem colocou Jeremias no “cepo” foi o presidente da casa do Senhor. Elias, quando escondeu-se de Jezabel, pediu a Deus para morrer porque só tinha ele que ainda não tinha se dobrado perante Baal (I Rs 19). Por isso, Deus o alertou que havia mais 7000 que não havia se dobrado perante baal. Elias não estava mentindo para Deus. Ele acreditava nisso. Portanto, os 7000 eram anônimos, provavelmente não “líderes”, senão, certamente, Elias os conheceria porque estariam ao lado dele. Ou, se eram, se omitiram e não ficaram juntos com o profeta. Os líderes provavelmente já tinham todos negociado com Jezabel, Acabe, baal e asera, ou se escondido. Elias pode ter sido abandonado pelos líderes que eventualmente ainda existiam. Estarrecedor, mas não está na Bíblia à toa.

Fica a dica: cuidado quando você vê um líder religioso orientando o voto. Mantida a visão bíblica, serão pouquíssimas as chances de seus indicados serem bons para o povo. Eles deixam de olhar as almas e olham o poder terreno, sem ter propostas para mudar o Brasil. Daniel era profeta e cientista. Era um craque. Por isso, se destacou (Dn 1:4). Vejam que, quando dá errado suas indicações, até porque as razões de apoio por vezes são inconfessáveis, não cobram e nem se explicam: desaparecem, se escondem e se calam. Em épocas de eleições, se necessário, passam por cima dos “irmãos”, como temos visto, inclusive em horários eleitorais, líderes expondo outras igrejas que também anunciam Jesus às pessoas. Portanto, dedique-se à sua igreja, ajude o seu líder a ganhar e cuidar de pessoas, e cuidado com os que se aproveitam da política em nome da fé para “se darem bem”,  ajudando corruptos a enrolar o povo, prejudicando o país e dificultando a vida das pessoas sérias que anunciam a salvação e das que lutam por um país melhor.  Veja o texto de Jeremias, referido acima:

“1. E Pasur, filho de Imer, o sacerdote, que havia sido nomeado presidente na casa do Senhor, ouviu a Jeremias, que profetizava estas palavras.
2. E feriu Pasur ao profeta Jeremias, e o colocou no cepo que está na porta superior de Benjamim, na casa do Senhor”. Jr 20.1-2. (Fonte: Gospel Mais, Rubens Teixeira)